Filosofando…

Recebi esse texto de uma grande amiga e ela sugeriu que eu publicasse no blog.

“FECHANDO CÍRCULOS

É preciso saber sempre quando se acaba uma etapa da vida. Se insistirmos em permanecer nela, depois do tempo necessário, perderemos a alegria e o sentido do resto. Fechando círculos, fechando portas ou fechando capítulos, como queiras chamar, o importante é poder fechá-los, deixar ir momentos da vida  que vão se enclausurando.

Terminou seu trabalho? Acabou a relação? Já não mora mais nessa casa? Deve viajar? A amizade acabou?

Você pode passar muito tempo do seu presente dando voltas ao passado, tentando modificá-lo… O desgaste será infinito, porque na vida, você, seus amigos, filhos, irmãos, todos estamos destinados a fechar capítulos, virar páginas, terminar etapas ou momentos da vida, e seguir adiante. Não podemos estar no presente sentindo falta do passado. O que aconteceu, aconteceu. Não podemos ser filhos para sempre, nem adolescentes eternos, nem empregados de empresas inexistentes, nem ter vínculos com quem não quer estar vinculado a nós.

Os acontecimentos passam e temos que deixá-los ir! Por isso, às vezes é tão importante esquecer de lembrar, trocar de casa, rasgar papéis, jogar fora presentes desbotados, dar ou vender livros…

As mudanças externas podem simbolizar processos interiores de superação. Deixar ir, soltar, desprender-se… Na vida ninguém joga com cartas marcadas, e tem que aprender a perder e a  ganhar.

O passado passou: não espere que o devolvam. Também não espere reconhecimento, ou que saibam quem você é.

A vida segue para frente, nunca para trás. Se você anda pela vida deixando portas abertas nunca poderá desprender-se, nem viver o hoje com satisfação. Namoros ou amizades que não se fecham, possibilidades de regresso a quê? Necessidade de esclarecimentos, palavras que não foram ditas, silêncios… Se você pode enfrentá-los agora, que o faça! Não por orgulho ou  soberba, mas porque você já não se encaixa ali, naquele lugar, naquele coração, naquela casa, naquele escritório, naquele cargo…

Você já não é o (a) mesmo (a) que foi há dois dias, há três meses, há um ano… Portanto, nada tem que voltar. Feche a porta, vire a página, feche o círculo! Você nunca será o mesmo, nem o mundo à sua volta, porque a vida não é estática. É para sua saúde mental, é ter amor por você mesmo, desprender-se do que já não está em sua vida. Lembre-se de que nada, nem ninguém é indispensável. É um trabalho pessoal aprender a viver com o que dói, deixar-se ir. É processo de aprender a desprender-se. E isso ajudará definitivamente a seguir para frente com tranqüilidade.  Essa é a vida!”

Fernando Pessoa

Um ótimo feriado!!!

Beijos!

Filosofando…

Hoje o filosofando foi um texto que vi no blog da Revista Tpm e deu vontade de dividir com vocês.

As escolhas que fazemos na vida: 

“Acho meio careta falar que a mulher de hoje se vira em mil. Já sabemos que isso é verdade. Mas também sabemos que nem sempre dá pra fazer tudo. E tudo bem, não tem nada errado nisso. Eu sou humana, você também. Nem sempre consigo fazer meu trabalho, ligar a máquina, estender as roupas, levar a cachorra para passear, fazer as unhas, telefonar para aquela amiga que está com um super problema, ir ao banco, marcar consulta no oftalmologista, ir ao supermercado, fazer a feira, visitar a minha mãe, comprar flores para casa, achar uma receita nova, dar um jeito de ir à reunião de condomínio e caminhar uma hora na esteira. Às vezes a coisa fica preta. E eu respiro fundo e penso tá-tudo-certo-não-tenho-que-ser-a-mulher-maravilha. O dia só tem 24 horas e, sinceramente, não tenho a pretensão de conseguir fazer com que ele tenha 27.

Hoje em dia, vejo muitas mulheres insatisfeitas. É claro que a gente sempre quer melhorar e evoluir. E isso é ótimo. Só não dá pra querer o impossível. É preciso ter metas reais. Não adianta passar a vida inteira lutando contra seu quadril largo. Por mais que você emagreça ele não vai mudar. Mas existem coisas que podemos, e devemos, transformar em nossas vidas. Se você só se envolve com homem que não presta, é hora de rever as coisas. De repente, é o seu comportamento que está “atraindo” esse tipo de sujeito. Sim, mesmo sem querer a gente dá certos sinais. Se você está repetindo o mesmo padrão de comportamento, dê um basta e mude a sua vida. Ninguém disse que é fácil e simples, mas é possível (além de saudável, pois ninguém quer um bolha ao lado).

Eu desenvolvi a técnica do chega. Funciona assim: tem algo incomodando? Então chega. Chega, eu não estou aqui pra ser infeliz. Estou aqui para buscar alguma paz, uma serenidade, um norte. Não quero alguém que me desestabilize, me humilhe, me desvalorize. Quero uma pessoa que me admire, me dê força, me faça rir, faça a minha vida ficar mais leve. A gente já tem problemas demais para estar ao lado de quem não colabora para a vida ficar melhor (isso vale para amigos e amores). Sinceramente, não peço muito. Não precisa me oferecer um mundo de sonhos, só precisa me mostrar uma realidade tranquila. Sem sobressaltos, sem portas batendo, sem telefone desligando na cara, sem pneus cantando na madrugada, sem gritos, sem palavrões, sem piração. E eu também sei que romance de cinema existe só lá na telinha. Então eu quero tranqüilidade. Não quero alguém que faça meu coração acelerar, minhas pernas tremerem, fogos de artifício imaginários aparecerem. Isso existe, sim, mas se chama paixão. Quero um amor sossegado. Alguém para me abraçar, assistir um filme, jogar baralho, viajar, conversar, contar o dia, fazer cafuné, dar apoio, confortar. Quero troca, carinho, respeito, cumplicidade. O amor é uma amizade sem inveja. É um sonho com realidade. É uma realidade sem photoshop. O amor é um abraço apertado, um olhar que se encontra, um silêncio que não incomoda, um barulho de onda, um gosto bom. Não tem serenata, mas tem bilhetinho dentro da bolsa. E rotina, cansaço, discussão, divergências de opinião. Mas, acima de tudo, tem paciência. E vontade.

Acredito que as escolhas são todas nossas. Você escolhe quem atrai, você escolhe onde quer estar, você escolhe o seu emprego. Uma vez um chefe meu disse uma frase que nunca esqueci “a gente escolhe onde trabalha”. E é verdade. Durante algum tempo, vivi insatisfeita com meu trabalho. Vivia num ninho de cobras, um querendo puxar o tapete do outro, gente dando tapinha nas costas e falando de você escondido. Não gosto disso, não sou assim. Faço meu trabalho e pronto. Tenho a minha vida pra viver, minhas coisas pra fazer e, honestamente, não tenho tempo pra isso. Não ganhava rios de dinheiro, mas até que era razoável. Dava pra viver tranquila. Hoje eu faço o que gosto, mas volta e meia me aperto. Fiz uma escolha e toda escolha tem uma conseqüência. Eu podia trabalhar em um lugar, ser menos feliz e mais segura financeiramente. Mas preferi viver na inconstância e me realizar profissionalmente. Loucura? Sei lá. Quando a conta fica no vermelho eu penso que podia estar em outro lugar engolindo sapos obesos e indigestos. Mas depois eu paro, reflito e chego a conclusão que sou bem mais feliz assim. É preciso ter admiração e respeito pelo ambiente onde você trabalha, pelo seu chefe, pelos seus colegas, senão não vale a pena. Não é saudável trabalhar para um bando de filhos da mãe.

Vejo muita gente que não é feliz no que faz. Acho péssimo. Bom mesmo seria a gente trabalhar no que gosta e ganhar super bem por isso. Alguns têm essa sorte. Outros nem sabem que isso é sorte. Mas sempre é bom a gente refletir sobre as coisas que faz, o que quer do futuro, onde espera estar daqui a cinco anos. E mudar, se preciso for. Porque ninguém está aqui de brincadeira.”

Beijos e um ótimo feriado!

Filosofando…

Como loucos, vivemos perseguindo a tal felicidade. Meio cegos, nem percebemos quando ela de fato está sentada no nosso colo. Surdos, não ouvimos os sinais que a vida nos dá diariamente.

É uma perseguição sem fim. Uma busca constante. E uma pequena descrença, já que existem aqueles ditados que falam que felicidade dura pouco. Quer saber? Não concordo. A felicidade mora dentro da gente. Só que nem sempre temos capacidade de perceber.

A felicidade é sutil. É uma poesia, um pedaço de manga, um gole de vinho, uma música que arrepia. A felicidade é tão simples. Um abraço em quem a gente não vê faz tempo, um carinho de um amigo, um beijo em seu amor. É andar de mãos dadas, encostar a cabeça no ombro do outro no cinema, dormir juntinho. É cheiro de café passado, susto que passa logo, lambida de cachorro no nariz e perfume de flor. A felicidade é serena.

Uma ferida que sara, a calça que finalmente entra, a tão desejada voz do outro lado do telefone. Um filho que aprende a dizer mamãe, a receita que dá certo, o olhar que se encontra. Estou em uma fase muito feliz. E saboreando cada momento, sem perder um segundo sequer da tal felicidade.

A perseguição – Clarissa Corrêa

Filosofando…

Semana de aniversário e um novo ciclo para começar… Acho que o texto vale o momento!
E que venha os 26… ♥
“E passamos a vida tentando, querendo, sonhando, esperando, num gerúndio sem fim, sem charme e sem nenhuma certeza no final. Ah, para tudo! Se é pra viver, vamos viver direito. Com conteúdo. Troque o verbo, mude a frase, inverta a culpa. O sujeito da oração é você. A história é sua, mãos à obra! Melhore aquele capítulo, jogue fora o que não cabe mais, embole a tristeza, o medo, aceite seus erros, reescreva-se. Republique-se. Reinvente-se. E transforme-se na melhor edição feita de você.”

Filosofando…

Para embalar o romantismo do dia de hoje..

Hoje eu preciso te encontrar de qualquer jeito
Nem que seja só pra te levar pra casa
Depois de um dia normal…
Olhar teus olhos de promessas fáceis E te beijar a boca de um jeito que te faça rir

Hoje eu preciso te abraçar…
Sentir teu cheiro de roupa limpa…
Pra esquecer os meus anseios e dormir em paz!

Hoje eu preciso ouvir qualquer palavra tua!
Qualquer frase exagerada que me faça sentir alegria…
Em estar vivo.

Hoje eu preciso tomar um café, ouvindo você suspirar…
Me dizendo que eu sou o causador da tua insônia…
Que eu faço tudo errado sempre, sempre.

Hoje preciso de você
Com qualquer humor, com qualquer sorriso
Hoje só tua presença
Vai me deixar feliz
Só hoje

Hoje eu preciso ouvir qualquer palavra tua!
Qualquer frase exagerada que me faça sentir alegria…
Em estar vivo.

Hoje eu preciso tomar um café, ouvindo você suspirar…
Me dizendo que eu sou o causador da tua insônia…
Que eu faço tudo errado sempre, sempre.

Hoje preciso de você…
Com qualquer humor, com qualquer sorriso!
Hoje só tua presença…
Vai me deixar feliz.
Só hoje

Só Hoje – Jota Quest

Escoteira sênior. Lobinha da vida.

Os dias, os anos, tudo passa pelos nossos olhos com uma velocidade indescritível. Um dia você acorda brincando com bonecas e no outro está comprando as bonecas das filhas das amigas. Um dia laçarotes rosa e lilás dividindo o cabelo ao meio, no outro as unhas negras sensualizam o passar de mãos nos fios loiros, cada vez mais loiros. E no fundo, lá dentro do peito, o mesmo coração, os mesmos amores. Aquela tarde inteira sentada no muro da vizinha comendo picolé e falando de meninos, escola, segredos e cinema são sempre os que ficam guardados em uma caixinha chamada carinho eterno. Aquela mesma caixinha que guarda o primeiro beijo, o primeiro acampamento, o primeiro fora.

Porque não abrimos mais vezes essa caixinha? Ela sempre traz a surpresa da lembrança de um momento que achávamos que não existia mais. A surpresa é que ele ainda existe e quando nos mostra isso traz consigo uma energia de mudança, metamorfose, transformação. O sentimento que diz: Vai, pula! Você pode voar. Você carrega aí dentro momentos e pessoas inesquecíveis e isso torna você invencível.

Então foi assim que nos encontramos depois de 10 anos e exatamente na semana do escoteiro! As coincidências da vida… Na casa da Alyssa, que hoje mora em Brasília, em uma outra casa.

Como é possível lembrar de frases inteiras ditas por pessoas que você não lembra mais o nome? A memória as vezes guarda só o que é mais importante. Ela é seletiva. Nomes, idade, brigas ficam de um lado diferente e menos importante que o carinho, as risadas e o sentimento de amizade.

O reencontro do Grupo Escoteiro do Mar Ilhas Guará, nos fez voltar para dias e noites mágicas da década de 90. Quando o acampamento era uma viagem para um universo de descobertas, desafios e coragem. Muito significativo para o meu momento, não? Descobertas, desafios, coragem…

Fraternidade, lealdade, altruísmo, responsabilidade, respeito e disciplina. Se os valores gerados pela proposta de desenvolvimento de um jovem pela Lei escoteira deu certo ou não, não importa tanto quanto ver que estão todos muito bem, lutando pelos seus sonhos e correndo atrás dos desafios de cada dia para tornar o prazer de alcançá-los mais uma preciosidade daquela caixinha de carinhos eternos.

Saudade? Muita! Como não admitir? Quem poderia imaginar que aquela moleca agitadíssima se tornaria na Thayse Pereira da Pera? Como eu poderia imaginar que a vida trocaria minhas cordas, mochilas e colchonetes por sedinhas, veludos, saias… Hoje quem decide se o meu cordão é verde- amarelo, vermelho-branco, lis de ouro é a tendência da moda! O legal é que eles ainda importam pra mim!

Você pode imaginar a vida sem essas surpresas maravilhosas? A nossa correria do dia a dia que invade nossas mentes para nos iludir que sim, nós estamos ditando o que acontecerá passo a passo. Quando você olha para trás percebe que detalhes como um telefonema, um filme, um livro, foi o que mudou suas vontades, seu foco e por fim sua vida.

Em uma barraca no camping ou no quintal com os filhos. Quando e onde o próximo encontro vai acontecer, não importa. O principal reencontro já aconteceu dentro de mim quando descobri que carrego aqui momentos e pessoas maravilhosas. Inclusive eu mesma!

Beijos e uma ótima semana!

Filosofando…

Um Meio ou uma Desculpa

“Não conheço ninguém que conseguiu realizar seu sonho, sem sacrificar feriados e domingos pelo menos uma centena de vezes. O sucesso é construído à noite! Durante o dia você faz o que todos fazem. Mas, para obter um resultado diferente da maioria, você tem que ser especial. Se fizer igual a todo mundo, obterá os mesmos resultados. Não se compare à maioria, pois, infelizmente ela não é modelo de sucesso. Se você quiser atingir uma meta especial, terá que estudar no horário em que os outros estão tomando chopp com batatas fritas. Terá de planejar, enquanto os outros permanecem à frente da televisão. Terá de trabalhar enquanto os outros tomam sol à beira da piscina. A realização de um sonho depende de dedicação, há muita gente que espera que o sonho se realize por mágica, mas toda mágica é ilusão, e a ilusão não tira ninguém de onde está, em verdade a ilusão é combustível dos perdedores pois… Quem quer fazer alguma coisa, encontra um meio. Quem não quer fazer nada, encontra uma desculpa.”

Roberto Shinyashiki

O filosofando de hoje eu “roubei” do blog da linda Gabriela Faraco, e estou compartilhando porque me identifiquei no texto!

Beijos!